Arquivo de outubro, 2010

Cidadão do mundo!

Publicado: 30 de outubro de 2010 por Leandro Possadagua em Uncategorized

Davi Luiz Silva*

Sai de Pernambuco fugindo da fome! Mas de uma fome existencial, de um anseio de viver coisas que até então eram inimagináveis. Oportunidade era coisa rara, não queria mais do mesmo! Aprendi com Frei Betto que a vida é o que acontece conosco enquanto fazemos planos e sonhamos acordados. Decidi desbravar o mundo e ver além de meu próprio umbigo. Decidi encarar o mar da vida.

Temeroso, cheguei a São Paulo… Aportei o barco da vida, pra mais a diante seguir viagem. Perdi o medo de altura, dei asas a minha existência! Evidente que o sofrimento me acompanhou, mas sou grato à ele; sem seus ensinamentos eu não seria quem sou hoje. Conheci a fascinante arte do teatro. Através de meu envolvimento com ele, realizei re/leituras da vida. Com Bertold Brecht vi que “apenas quando somos instruídos pela realidade é que podemos mudá-la!”. Em suma, fui infectado pelo vírus do teatro, doença da qual padeço até hoje.

Anos depois decidi morar fora do país. Fui pra Espanha, terra de Cortez e Miguel de Cervantes. Como um Dom Quixote combati moinhos de vento, combati sobretudo, minha própria auto-suficiência. Com dores, descobri que em nossa fragilidade, podemos ser úteis àqueles que sofrem e que ser cidadão do mundo não significa não ter raízes, pelo contrário… afinal, todao o planeta é uma mesma coisa, um grande punhado de terras!

Cinco anos se passaram na Espanha, recebi um papel que dizia: “Agora, tú és cidadão europeu!”. Grande coisa! Não seria tolo de pensar que isto significaria minha aceitação como latino americano que sou. Quando me perguntam de onde sou, respondo sem titubear: “Meu país de origem é o Brasil, mas sou um cidadão do mundo… um ser cosmopolitano!”. Fico com a lição de que a vida não pode ser medida em intensidade, e com a certeza de que experiências não se explicam, se vivem!

*Dom Quixote que combate as incertezas da vida! Aventureiro da existência humana, um cidadão do mundo.

Anúncios

Um depoimento a quem se interessar pela experiência de um pseudo-historiador na vida universitária que lhe garante certezas relativas, ou não.

Pablo Sangalli*

Fiz meu Ensino Médio em escola particular, toda a metodologia dos professores e da escola visava o mercado de trabalho competitivo que esperava com preferência as mais procuradas profissões, um ensino politeísta, os médicos eram os deuses. Nas vésperas do fim do terceiro ano, que desde seu começo tinha como assunto principal o temido Vestibular, que sempre rendia papo entre alunos e professores, me via perdido entre as opções que me eram dadas de maneira plebiscitária. Falhei na missão de escolher qual o curso prestaria vestibular para decidir de que maneira seria meu futuro próspero e enriquecedor. Escolhi o intrigante, o curioso, o interessante desde sempre para mim: História.

Minhas impressões sobre o curso logo que entrei no ambiente da Cidade Universitária de Dourados e posteriormente na sala de aula não poderiam ter sido melhores. Alguns amigos e conhecidos no mesmo bloco (Faculdade de Ciências Humanas) davam-me a certeza que minha nova fase de estudante seria promissora, e foi (e está sendo), meus amigos dentro da faculdade multiplicaram-se, seja por conta de convívio, bebedeiras e congressos acadêmicos (não estou repetindo, apesar de parecer com o item anterior, não é a mesma coisa).

Dizer “nem tudo são flores” seria clichê de minha parte, pois não foi novidade do Ensino Superior ter alguns professores autoritários ou preguiçosos, já os tive durante outras fases da minha vida dentro das salas de aula, também fui infeliz em conhecer ou simplesmente conviver com algumas pessoas desde sempre, todo mundo é. Ao mesmo tempo em que ao andar em um corredor de qualquer bloco da Universidade posso eventualmente encontrar um amigo ou conhecido, também poderão surgir-me diversas críticas, pessoais e políticas, por deparar-me com muita gente ignorante, muita gente que não me agrada, muita gente hipócrita, e assim pra pior, não posso esquecer que um dos princípios da universidade (pelo menos as públicas) em uma democracia é a diversidade.

Não há nada na universidade que eu tenha presenciado que não tenha sido útil a mim, diretamente ou indiretamente, felizmente ou infelizmente, e é isto que me estimula a não sair tão cedo deste ambiente, somado a infinidade de coisas que não foram estudadas ou não conheci ainda, vou traçando meus caminhos conforme meus interesses e minhas idéias, momentâneos ou não, um dia cansarei de estudar ou morro, certeza só tenho da última opção.

*Acadêmico do curso de história na Universidade Federal da Grande Dourados/UFGD-MS. Atualmente exerce o cargo de tesoureiro e também conselheiro do CAHISD [Cf. http://www.cahisd.com].

Greve na UNIFESP Guarulhos!!

Publicado: 28 de outubro de 2010 por Leandro Possadagua em Uncategorized

Na Assembléia dos estudantes da UNIFESP Guarulhos realizada ontem a noite (21/10), os estudantes decidiram entrar em greve por tempo indeterminado. Atualmente os novos campi UNIFESP possuem pouca ou nenhuma estrutura, como bibliotecas, laboratórios ou quadras poliesportivas, vitais para o pleno funcionamento de uma Universidade, e carece de uma política eficiente de permanência estudantil, como bolsas-auxílio, moradia estudantil e restaurante universitário, dificultando o acesso dos estudantes mais pobres à universidade.

Diante da carência de respostas concretas aos problemas apresentados pelos estudantes, decidimos paralisar as atividades acadêmicas e aumentar a pressão junto a Reitoria, somando-nos aos estudantes da UNIFESP Baixada Santista, que começaram a paralisação já no dia 06/10.

Principais reivindicações:

*Construção imediata do novo prédio definitivo do campus Guarulhos;

*Diminuição do preço da refeição do bandejão – Fim da terceirização do R.U.;

*Implantação imediata da linha de ônibus Itaquera – Pimentas;

*Construção da moradia estudantil próxima à Universidade;

*Garantia da conclusão da graduação (não ser jubilado antes dos oito anos de curso).

Fonte: Blog do CAHIS/UNIFESP. [http://cahisunifesp.wordpress.com/2010/10/22/greve-na-unifesp-guarulhos/]

Carta dos Estudantes aos Docentes e aos Técnicos Administrativos da UNIFESP

Publicado: 28 de outubro de 2010 por Leandro Possadagua em Uncategorized

Insatisfeitos, sem respostas concretas da Diretoria Acadêmicae da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis à nossa pauta dereivindicação, deliberamos a paralisação das aulas no dia 21/10em Assembléia Geral dos Estudantes.

Estamos mobilizados pela imediata construção do prédio definitivo docampus Guarulhos, a redução do preço do bandejão, o fim da terceirização dorestaurante universitário, a construção de moradia estudantil no entorno docampus, a implementação imediata da linha de ônibus Itaquera – Pimentas, agarantia da conclusão de curso em oito anos.

É de conhecimento da nossa comunidade a expansão universitáriaocorrida coma criação dos campi Baixada Santista, Guarulhos, São José dosCampos e Diadema. São muitas as reclamações da falta de prédios e de uma política efetiva de Permanência Estudantil.

Sabe-se que os problemas de infraestrutura afeta a todos, inclusiveos docentes e técnicos, interferindo em suas condições de trabalho. Atingetambém o projeto acadêmico do campus, a exemplo, a reprovação deprogramas de pós-graduação.

As agências fomentadoras (FAPESP e CAPES) exigem infraestruturaadequada para aprovação dos projetos. O projeto de pós-graduação emCiências Sociais do Campus Guarulhos pode ser descredenciado por nãoatender o mínimo de estrutura exigido pelas agências. O curso precisourecorrer à decisão da CAPES para que fosse implantado este ano.

Acreditamos que as melhorias nas condições de ensino e de trabalhoserão conquistadas por meio da mobilização dos estudantes, docentes etécnicos administrativos, tem sido assim historicamente.
Os problemas que atingem a todos se manifestam de formasespecíficas e vemos nossos servidores atravessando dificuldades daordem da insalubridade das condições de trabalho ao assédio moral.

Aregulamentação das atividades se limita aos editais de contratação que,por serem muito abrangentes, abrem espaço para a atribuição aleatória edesmedida das funções por parte das direções.

A incapacidade administrativa é notável. Principalmente nos novoscampi a estrutura de recursos, em especial os recursos humanos, ficammuito aquém de qualquer projeto de administração. A centralização nocampus São Paulo emperra todas as atividades através da burocracia e daconcentração de poder de decisão.
Mesmo a estrutura recém estabelecida dos conselhos centrais, e tidacomo democrática, declara seu conservadorismo através da maioria deprofessores titulares da V. Clementino presentes em sua instância superior, o CONSU.

É importante ressaltar que os servidores em geral sofrem com a faltade informação, a falta de formação e falta de transparência por parte das pró-reitorias, que não divulgam seus procedimentos, seu modo de atuar, nãorealizam um planejamento claro e objetivo.

Dizem promover uma tomada democrática para a construção deuma universidade ampla e de qualidade, enquanto utilizam dos serviçosterceirizados, promovendo o subemprego, a atuação das Fundações deApoio Privadas, assim como disseminação da desinformação entre não só osfuncionários como também os estudantes e docentes.

Fonte: Blog do CAHIS/UNIFESP. [http://cahisunifesp.wordpress.com/2010/10/26/carta-dos-estudantes-aos-docentes-e-aos-tecnicos-administrativos-da-unifesp/]

Trocando Idéias: Entrevista Caio Santos e Pablo Sangalli

Publicado: 27 de outubro de 2010 por Leandro Possadagua em Uncategorized

Caio Santos e Pablo Sangalli são estudantes de História da Universidade Federal da Grande Dourados/UFGD-MS, e, além da vida acadêmica ainda enfrentam o grande desafio de coordenar o CAHISD (Centro Acadêmico de História da UFGD). Eles são os convidados de honra deste Trocando Idéias. Nesta entrevista temos a oportunidade de ver e sentir como pensam e, principalmente, agem os estudantes de história que tem grande engajamento político e social, sendo também uma oportunidade pra discutir os caminhos percorridos pelas universidades, assim como o envolvimento de seus estudantes em questões relevantes. Confira a entrevista completa na sessão Trocando Idéias

Webdocumentários: Pedro Leopoldo

Publicado: 25 de outubro de 2010 por Leandro Possadagua em Uncategorized

Arqueólogo Dr. Walter Neves, do Laboratório de Estudos Evolutivos Humanos (LEEH/USP)

Pedro Leopoldo: O berço de Luzia, mostra os sítios arqueológicos de Pedro Leopoldo, na região mineira de Lagoa Santa, nos arredores de Belo Horizonte, onde foi encontrado um crânio de 11 mil anos de idade, chamado informalmente de Luzia. A área é alvo de um grande projeto de pesquisa sobre a origem do homem nas Américas coordenado pelo arqueólogo Waltes Neves, do Laboratório de Estudos Evolutivos Humanos (LEEH) do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB/USP) . Produzido pela prefeitura de Pedro Leopoldo e pelo LEEH em 2007, o vídeo foi gentilmente cedido a Pesquisa FAPESP por Walter Neves. Acesse a sessão Webdocumentários e confira…

Porém – Sérgio Vaz

Publicado: 25 de outubro de 2010 por Leandro Possadagua em Uncategorized

Confiram a bela poesia do mestre Sérgio Vaz (Poeta e fundador do Sarau da Cooperifa)